Notícias

Serviço de entrega pode alavancar vendas online em supermercados

Publicado em : 12/03/2019

O crescimento dos supermercados no ambiente online tem espaço para avançar no Brasil, mas muitas redes já investem neste canal de olho no futuro. Contudo, é preciso entender o comportamento do consumidor antes de dar qualquer passo em direção à tecnologia e interatividade.

Em uma pesquisa feita pela consultoria Bain & Company e o Google, foi detectado que 52% dos consumidores norte-americanos ainda levam listas de compra escritas em papel. Além disso, a penetração das plataformas online no processo de compras de alimentos ainda é tímida nos Estados Unidos em comparação a outros países como Inglaterra (10%) e Coreia do Sul (15%).

Nos Estados Unidos, as compras online de mantimentos feitas em supermercados somam apenas 3%, segundo o estudo. Outro dado que reforça o comportamento ainda embrionário de compras em supermercados virtuais americanos é que somente 6% dos oito mil entrevistados fizeram mais de um pedido em 30 dias. O dado positivo desta amostra é que 25% dos participantes realizaram pelo menos uma compra pela internet ano passado.

É importante saber que, para os participantes que fizeram a primeira compra pela internet, 42% deles acreditam ter ganhado tempo. E quanto mais itens são comprados no ambiente digital, mais satisfeitos os consumidores se sentem. Dos que compraram dez vezes ou mais na internet, 68% afirmaram ter economizado tempo.

Ambiente digital precisa de expertise

Um dos principais entraves para o varejo online pode estar na disposição de produtos para o consumidor. O estudo demonstra que a principal vantagem dos supermercados tradicionais em relação aos virtuais está no momento em que o consumidor procura um produto. Nas lojas físicas, eles acham mais fácil encontrar itens andando pelos corredores do que navegando no e-commerce da rede.

Outro dado que mostra a grande oportunidade para os supermercados no ambiente digital é que, ao perguntar aos participantes da pesquisa qual seria a primeira opção de loja caso eles precisassem fazer uma compra online, 85% deles responderam que seria o supermercado que frequentam.

Na Europa, também existe a preocupação das redes supermercadistas em atender da mesma forma os clientes que optam pelos canais online. Um dos pontos frágeis para os supermercados online é a questão da entrega, segundo um estudo da Capgemini. Além de oferecer o delivery, é preciso assegurar que ele seja rápido, de preferência algumas horas após o pedido do consumidor.

De acordo com a pesquisa, mais de metade dos compradores online garantem que poderia ser mais leal a um supermercado se este oferecesse entregas no prazo de duas horas. Por outro lado, o estudo mostra que 19% das redes de supermercados em todo o mundo com presença online fazem entregas em até duas horas, contra 98% que oferecem prazos de entregas de um a três dias.

Notícias

PIB Brasileiro cresceu 0,3% de dezembro para janeiro, mostra FGV

22/03/2019

Escola Agos divulga calendário de Cursos

21/03/2019

Supermercados retomam crescimento no Brasil com boa perspectiva para 2019

20/03/2019

Pesquisas mostram que o setor começa a reagir à crise econômica e período da Páscoa deve proporcionar alta de 5%

Setor aposta em estabilidade para a Páscoa 2019

19/03/2019

O levantamento foi apurado em todas as regiões brasileiras de janeiro a fevereiro. As compras dos supermercadistas apontam para um crescimento de 0,4% em volume.

Presidente da AGOS lidera comitiva Para Convenção da ABRAS 2019 no RJ

18/03/2019

Vendas online nos supermercados podem evoluir se os consumidores tiveram mais informações sobre os produtos em oferta

15/03/2019

Brasil e Estados Unidos apresentam, respectivamente, 2% e 3% de taxa de vendas online neste setor. Especialista da Simplus aponta para a falta de informações

Nova edição da Revista Supermercados já está circulando

14/03/2019

Convenção ABRAS começa dia 19 de março no RJ

13/03/2019

Kantar: Brasileiros diminuem consumo de açúcar refinado, carne vermelha e refrigerante

11/03/2019

Em linha com essa tendência o estudo revela que 389 mil domicílios deixaram de comprar açúcar refinado no ano passado

Inovações para o varejo economizar na conta de luz

08/03/2019
voltar para página anterior
AGOS - Associação Goiana de Supermercados